“Documentos de D. Sancho I (1174-1211)”

Documentos de D. Sancho I (1174-1211) é um excelente livro para o estudo da história medieval portuguesa, pelos documentos que foram transcritos da época de D. Sancho I. Esta publicação está inserida na “Série de Estudo e Publicação de Fontes da História Medieval Portuguesa” da Universidade de Coimbra, dirigida pelo eminente diplomatista Doutor Rui de Azevedo. Este trabalho foi realizado pelos bolseiros do Instituto Nacional de Investigação Científica, Padre Avelino de Jesus da Costa e Marcelino Rodrigues Pereira, distintos historiadores. Aliás, o Padre Doutor Avelino da Costa, professor Catedrático, é considerado um dos maiores medievalistas portugueses.

A impressão deste livro foi iniciada em Fevereiro de 1972 na tipografia Barbosa & Xavier, Braga, mas, por razões várias, nomeadamente a morte do Doutor Rui de Azevedo, só foi possível a sua conclusão em 1979.

Neste livro estão identificados e transcritos duzentos e trinta e nove documentos produzidos no reinado de D. Sancho I, muitos deles com referências à nossa região. Entre eles, destacamos os seguintes: nº 185 (Guimarães, Maio de 1209), documento da doação da herdade de Almofala (hereditate de Almafala) a dona Maria Pais (Maçãs de Dona Maria); nº 222, Janeiro de 1186, em que D. Sancho confirma ao mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, a herdade do Alvorge (Ansião) e a décima real do termo de Ladeia (Penela), doadas por D. Afonso Henriques, em Fevereiro de 1141; nº 235, Maio de 1204, em que D. Sancho confirma o foral dado a Figueiró dos Vinhos por Pedro Afonso e o nº 239, (Coimbra, Setembro de 1208), em que D. Sancho doa a albergaria das Maçãs (Maçãs de Caminho, Alvaiázere) a Martinho Fernandes e mulher, concedendo-lhe couto da mesma.

Quando apresentei o livro “Donas de Tempos Idos” do Conde de Sabugosa, falei sobre a Dona Maria Pais (a Ribeirinha) e aproveitei para publicar o documento de doação da herdade de Almofala a esta ilustre cortesã. Ora, este documento depositado no Arquivo Nacional Torre do Tombo, Lisboa, foi transcrito por mim há muitos anos. Portanto, é natural que na transcrição haja algumas incorrecções porque eu não sou especialista em história e muito menos em  Latim.

Para dissipar eventuais dúvidas de transcrição, apresento-vos o documento transcrito pelos autores deste livro, eruditos historiadores, nas páginas 281 e 282:

“In Dei nomine. Hec est carta donationis et perpetue firmitudinis quam iussi fieri ego S(ancius) Dei gratia Portugalensium rex una cum filio meo domno Alfonso rege, uxore eius regina domna Urraca et ceteris filiis et filiabus meis uobis domne Marie Pelagii de illa hereditate de Almafala cuius isti sunt termini: in Oriente. cabezas de Nadauis et uenit in directo ad fluuium de Algia et uadit per ipsam aquam ad molendinum de Almafala et uadit per aquam ad  fontem de Alamo et de ipso fonte ad cabezam de Netebra  et uadit per culmeneiram ipsius montis usque ad Paisal. Deinde per fluuium de Mazanis et diuidit cum hereditate de domno Martino Fernandiz et ferit in stratam Colimbrianam et uadit per ipsam stratam ad aquam de Valle de Cupis. Deinde ad cabezam de Arega quomodo uertit aquam per stratam ueteram et ferit in Mazanas et uadit per aquam ad focem de Mazanis et uadit per soueral de Pelagio Monaco ad cabezas de Nadauis. Quiquid infra terminos istos includitur damus uobis domne Marie Pelagii et concedimus ut habeatis ipsam hereditatem uos et filii uestri et cuncti successores uestri iure hereditario in perpetuum et faciatis de illa quicquid facere uolueritis. Addimus etiam ut eam habeatis liberam ab omni regia exactione scilicet cum uoce et cum calumpnia et cum omnibus que ad ius nostrum in ea pertinent. Quicumque igitur hoc nostrum factum uobis integrum obseruauerit sit benedictus a Deo, amen. Qui uero illud infringere atemptauerit sit maledictus a Deo, ámen, et iram Dei omnipotentis incurrat. Facta fuit hec carta Vimaranes mensse Maio Era M.ª CC.ª L.ª Vll.ª. Nos reges qui hanc cartam fieri precepimus coram subscriptis eam roborauimus et in ea  hec signa fecimus  + + + + + + + + + +

Qui affuerunt: Gunsaluus Menendiz maiordomus Curie conf., Martinus Fernandiz signifer regis conf., Gil Valasquiz conf., Laurencius Suarii cof., Nuno Sancii conf., Martinus Petriz conf., Iohannes Petriz conf., Poncius Alfonsi conf., Martinus Bracarensis archiepiscopus conf., Martinus Portugalensis episcopus conf., P (etrus) Lamecensis episcopus conf., Nicholaus Visensis episcopus conf., P (etrus) Colimbriensis episcopus conf., Martinus Egitaniensis episcopus conf.,  S (uarius) Vlixbonensis episcopus conf., S (uarius) Elborensis episcopus conf., Petrus Nuniz ts., Petrus Gomez ts., Rodericus Petriz ts., Iohannes Reimondiz ts., Iohannes Gunsaluiz ts., Suerius Suarii ts., Iulianus cancellarius Curie, G (unsaluus) Menendiz scripsit.”

Descrição:
Título: Documentos de D. Sancho I (1174-1211). Vol. 1
Autores: Rui de Azevedo, Padre Avelino de Jesus da Costa e Marcelino Rodrigues Pereira
Ano: 1979
Edição: 1ª
Editora: Centro de História da Universidade de Coimbra
Páginas: 392

Documentos de D. Sancho I

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.